O país distante


Não resisto. Na realidade, não queria sequer comentar o acontecimento - ou o fait divers - mas não resisto. A propósito de um certo concurso de uma certa estação televisiva e de um certo serviço público, muito se escreve na blogosfera e nas outras esferas também. Por aqui, só me ocorre roubar palavras, para dizer que o passado é um país distante, que distante é a sombra da voz, o passado é a verdade contada por outro de nós.



5 Comments:

  1. Noite said...
    Felizmente que é um país distante, que eu não quero conhecer, basta-me ouvi-lo da boca amarga de quem o conheceu. O passado por vezes é um fantasma que nos persegue e que devíamos deixar descansar em paz.
    Roubo as palavras ao mesmo mestre: "Ai Portugal, não te deixes assim vestir..."
    isabel said...
    Noite, bem-vinda à Bloomland. Sim, ainda bem que é um país distante. Que devia ser ainda mais, digo eu.
    Beijos!
    antónio said...
    Vamos todos para a Nova Zelândia!
    isabel said...
    Pelos vistos andamos pelas redondezas mas havia Marrocos. E olha, deu no que deu!
    Maria said...
    Como dia dizia o mestre da poesia.

    Este senhor Salazar
    É feito de sal e azar.
    Se um dia chove,
    A agua dissolve
    O sal,
    E sob o céu
    Fica só azar, é natural.
    Oh, c'os diabos!
    Parece que já choveu...

    Agora só nos resta desejar à RTP que fique com os restos da chuva.

    Nós, nós vamos a la playa.:) Olé!

Post a Comment





Copyright 2006| Templates by GeckoandFly modified and converted to Blogger XNL by Blogcrowds and tuned by Bloom * Creative Network.
No part of the content of the blog may be reproduced without notice and the mention of its source and the associated link. Thank you.