As Minhas Memórias (19)

Com o fim da Eurásia Filmes para mim não restava nenhuma outra forma de sobrevivência. Casado e com filhos, precisava em absoluto de arranjar uma forma de satisfazer as nossas necessidades. Então pensei que poderia arranjar essa forma de sobreviver indo buscar um rendimento ao Jogo. Eu tinha visto tantos ex-colegas meus arruinarem-se com o Jogo. Um dos corredores da Fórmula 1 que viera para as corridas, perdera todo o dinheiro que tinha e até perdera o carro. O casino, pagou-lhe a passagem para Hong Kong, só para ele se ir embora. Mas para mim havia uma forma de jogo baseada no cálculo de probabilidades que me poderia dar um rendimento razoável. Havia aquele jogo a que chamam Tai Siu (Grande Pequeno) e que se baseia em três dados que uma vez agitados apresentam na sua superfície superior um certo némero de pintas de um a seis (cada dado, claro, tem seis faces). A soma dessa pintas determina o número que ganha. De 4 a 10 é Pequeno. De 11 a 17 é Grande. Se saírem três dados iguais não é Grande nem Pequeno. A casa ganha. Quando se ganha recebe-se o dobro do que se apostou. Ora segundo o cálculo de probabilidades quando se joga Grande existem tantas possibilidades de sair grande como de sair Pequeno. Isto é, existem tantas probabilidades de ganhar como de perder. Se jogasse um número infinito de vezes não ganhava nem perdia; Mas a casa tem uma vantagem a seu favor que são os três dados iguais. Então para eu ganhar tinha de encontrar uma forma de aumentar as minhas probabilidades. E assim fiz. Jogava alternadamente Grande ou Pequeno (+, -, +, -...). Punha lá dez patacas num lado ou no outro (naquela altura podia-se jogar dez patacas, agora já não, tem de ser mais) e se perdia dobrava. Se voltasse a perder, voltava a dobrar e isso tantas vezes fossem precisas até ganhar o que compensava tudo o que tinha perdido anteriormente e ainda dava dez patacas de lucro. Nunca precisei de dobrar mais de cinco vezes, o que era um máximo que raramente sucedia. Assim, foi um amigo antigo companheiro da tropa que me emprestou o capital base para poder fazer o meu jogo. Em média fazia dez patacas (daquele tempo) por hora. Trabalhava seis horas por dia o que me dava um ordenado mensal equiparado ao de um major, mesmo dando uma percentagem das minhas receitas ao meu amigo que me emprestava o dinheiro para eu poder jogar.
Vivi assim três meses até que o tal amigo que me emprestava o dinheiro achou por bem experimentar ele o esquema e não sei como perdeu o dinheiro todo. Sem capital nao podia continuar no meu "emprego" e por isso voltei-me para outras possibilidades.

7 Comments:

  1. domingoz said...
    Comecei agora a ler as suas memórias, e deixa-me que te diga, Eurico, estou completamente fascinado pelas histórias que essa vida passou. Vou ver se arranjo tempo para lê-las ordenadamente, e claro, todas, já que comecei a lê-la, do fim para o início... Um grande abraço.

    Ps: Já tinha visto este "esquema" do jogo para a roleta.. hehe
    Anonymous said...
    Também penso que funciona na roleta, par/ímpar, preto/vermelho, grande/pequeno, numa jogado é possível ganhar 3 vezes. A única coisa necessária é ter verba para ir dobrando sempre até se ganhar, como o Eurico disse, normalmente, não passa das 5 vezes, e é preciso saber parar a determinada altura, porque também temos mais que fazer do que estar dentro de um casino. Ter um limite de ganho e vir embora. Mas de resto, estamos em vantagem perante o Jogo, e, sim, é possível tirar um ordenado mensal, utilizando este esquema.
    eurico said...
    O mal e que a maior parte dos jogadores se deixa levar pela ambicao ou pela ganancia e acabam por arriscar tudo o que ganharam muitas vezes em jogadas de grande risco... e acabam por perder tudo.
    domingoz said...
    Pois, isso já é o habitual.. A gula por mais, e claro, como é de esperar, quem tu quer, tudo perde.
    Vicente said...
    Eu não acredito que haja alguma virtude no Jogo e que se possa tirar algum partido dele. Por isso é que os casinos ganham rios de dinheiro e o resto é conversa.
    Se fosse assim porque é que o Eurico não ganhou a vida toda a jogar e pronto... se era só dobrar ou triplicar... podia aplicar uma pipa de massa e ficar milionário para o resto da vida! Ou não era?
    Açoriano em Madagáscar said...
    Eu experimentei o sistema do Eurico em casa, com os dados, e revelou-se infalível. Sim senhor. Talvez um dia que vá a um casino ganhe umas massas.
    eurico said...
    A razao porque nao ganho a vida no casino e simples. Gosto de ganhar a custa do meu esforco e capacidade. Gosto de produzir, ser util,contribuir, se possivel, para um mundo melhor. Vivo da minha arte, da minha iniciativa e por vezes da minha sorte.
    Eurico

Post a Comment





Copyright 2006| Templates by GeckoandFly modified and converted to Blogger XNL by Blogcrowds and tuned by Bloom * Creative Network.
No part of the content of the blog may be reproduced without notice and the mention of its source and the associated link. Thank you.